O Poeta do Deserto

Em meio ao arder árido agradeço aos espertos pelo incentivar singelo,sou O Poeta do Deserto!

Áudios

Moça Linda Debruçada na Janela
Data: 15/12/2012
Créditos:
Texto:Moça Linda Debruçada na Janela-O Poeta do Deserto
Voz:O Autor
Trilha Sonora:Esperando na Janela-Gilberto Gil
Edição e produções caseiras
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


           
Moça Linda Debruçada na Janela

Janela singela, moldura bucólica mais que bela, um convite para despistar o vão sofrer, ao fundo vales que se aglomeram, indiferentes ao doce olhar dela, impassiva e sisuda forma de ser, a moça linda debruçada na janela, enamorada com os ares sem mazelas, buscando os sonhos que esta paisagem viu nascer;

Com sofridão observo sempre ela, a menina debruçada na janela, seus divagares não a permitem me perceber, ela prefere os vales com a indiferença sincera, fletar platônico que desatina o meu viver, menina que da beatitude da paisagem tão somente espera, ventos que tragam sorrateiramente a ela, salutares galgares, o fim de quiçá doer;

Deus não me transmutai em bucólicas formas belas, mesmo em os vales tão distante da menina austera, distraída debruçada coisa mais terna, que não vislumbra o meu ardor, meu só querer, me transmutai em parapeito desta janela, somente assim estarei mais perto dela, e aos seus sonhares de alguma forma irei pertencer.

Dedico a um dos grandes seres que me deparei em vida,amizade verdadeira e incisiva,Celêdian Assis


Enviado por O Poeta do Deserto (Felipe Padilha de Freitas) em 04/12/2010

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras