O Poeta do Deserto

Em meio ao arder árido agradeço aos espertos pelo incentivar singelo,sou O Poeta do Deserto!

Áudios

Pedra,Rosas e Canção por Maci
Data: 14/04/2017
Créditos:
Texto:Pedra,Rosas e Canção-O Poeta do Deserto
Voz:Maci
Trilha Sonora:Trem Bala-Ana Vilela
Edição e Produções Caseiras
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Pedra,Rosas e Canção

Ela era uma mistura de cor de canela e sonhos, nos sonhos ela decidiu caminhar, pés na terra, espiritualidade sincera, em seus olhos há um pelejar;
Ela pouco sabia que um Poeta em métricas a tentou desvendar, ela é mistério e realidade, ela é plenitude e canção, talvez a melodia mais sincera que brota de seu buscante coração;

Ela dançava em meio à trilha, ela dança em meio as suas tortuosas andanças, ela encontra quiçá a sua esperança nos ritmos pulsantes de seus passos sãos;
Ela se faz menina, mulher e flor, nem os espinhos conseguem disfarçar o sorrir que às vezes brota na imensidão de seus dias, ela é luta, ela é desamor e paixão;

Ela canta e sabe que encanta nos balbuciares de suas indagações, ela é nua, crua tal qual o barro que se molda com a mão, ela se faz poesia, ela se constrói e se reconstrói nos penares acompanhados aos nãos;

Ela é Maria, ela representa outras tantas que fazem da luta suada a sua maior missão, ela só não sabia que em poesia se tornaria uma canção tão concisa, ela é rima, ela é coreografia desafiando os destinos do seu chão;

Ela são palavras que saltitam em versos na amplidão, ela se faz, se desfaz, se refaz, ela tão só ruma para onde dita seu coração;

Ela é a poesia mais doce e sensata tal qual a sua beleza discretamente percebida, ela são versos, ela é a simplicidade mais escrachada nos divagares palpáveis que pisa o chão, ela é o seu sorrir mesclado aos verbos mais sensatos que advém de seu terno coração, ela é pedra, rosas e canção.


Dedico à Pedra,Rosas e Canção de meus singelos divagares poéticos.
Enviado por O Poeta do Deserto (Felipe Padilha de Freitas) em 14/04/2017

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras